o carapuceiro



GUARDANAPOS DE VIAGEM (I)

Meu amor diz “avestruz não, não consigo, lembro do pescoço dela”. Eu digo ao meu amor que sou assim apenas com os coelhinhos e o resto do zôo não me fala à sensibilidade Discovery Chanel. E mirem que era avestruz defumada, com alho, tipo salame, saca? Meu amor às vezes é tão sensível que só vendo. Bebe mingau de sonhos na mamadeira que lhe esquento, aí dorme, desaba, descamba... e me deixa falando sozinho com as janelas abertas, mal engole o chá de paisagem que lhe preparo com ajuda de vagabundos impressionistas.

 

[em Tquarituba, latitude 23º31'59" sul e longitude 49º14'40" oeste, São Paulo, Brasil, América do Sul].



Escrito por xico sá às 22h49
[   ] [ envie esta mensagem ]




PRÓXIMO DESTINO: FARTURA/PIRAJU

Depois das cidades de Lins e Taguarituba, chego em FARTURA (nesta sexta-feira, 9h30, na Biblioteca Municipal) e PIRAJU, às 14h deste mesmo dia 24/10, também na Biblioteca Pública do Município. É o programa VIAGEM LITERÁRIA, org. Secretaria estadual da Cultura, que leva, durante o mês de outubro, cronistas para conversar com estudantes, professores e a rapaziada guerreira do interiorzão de São Paulo. Espero vocês para mais uma buena onda. Inté.



Escrito por xico sá às 17h09
[   ] [ envie esta mensagem ]




PROJETO CIDADE LIMPA – A REAL DA GUERRA *

Ou Feios, Sujos & Malvados

- Que banco que nada, banco é lugar de malandro ou de namorado, eu durmo é aqui na beira do lago, ainda escuto o barulhinho da água, parece o do riacho perto de casa lá em Piracicaba – diz o paulista Francimar Matias, 42, morador de rua do centrão de SP, que acaba de escolher sua nova cama no jardim da Praça da República, reinaugurada há cinco dias. Nascido no Sudeste como a maioria dos sem-teto e mendigos da cidade – é o que revelam as pesquisas do gênero desde 2004-, Francimar, esfarrapado mas altivo, camelô de bugigangas e discos piratas na 7 de Abril, é uma das milhares de evidências demasiadamente humanas de que o urbanismo à prova de miseráveis da gestão Kassab (DEM) não tem conseguido limpar os “feios, sujos e malvados” das passagens públicas como desejava.

Para namorar, os poucos bancos da novíssima República, uma das praças mais importantes da paulicéia, também não servem. Entre o pombinho e a pombinha existe uma barra de ferro que impede, digamos assim, um beijo mais aconchegante ou até o mais pudico dos amassos. Os novos arquitetos da destruição amorosa nem pensaram no afeto que se encerra lindamente no passeio público. A idéia explícita era apenas consolidar a guerra antimendigo ou antivagabundo, como diria o próprio alcaide. A tentativa de limpa começou com uma rampa antipobreza na região da avenida Paulista e seguiu na perseguição a mendigos de Higienópolis, ainda na gestão Serra, depois abriu um fosso antibanho na fonte da Sé, desenhou os novos bancos na praça dom José Gaspar e continua firme no mandato do vice que assumiu o comando.

O ideólogo da tentativa maluca de higienização do centro –como se fosse possível varrer a miséria com maquiagens urbanas de empreiteiras- chama-se Andrea Matarazzo, batismo mais imigrante impossível na cosmopolita SP, o supersecretário, a eminência parda, quase o prefeito da cidade, homem-forte deixado no cargo das subprefeituras pelo ex-prefeito e hoje governador do Estado –uma maneira de continuar, de certa forma, no controle do município ou, no mínimo, monitorando as ações do ex-pefelê Kassab.

O que ele, o ideólogo, tem dito sobre a tentativa frustrada de limpeza nas ruas? As aspas são as de sempre: não há política contra mendigo ou sem-teto, apenas uma forma de garantir o espaço público para todos, o projeto original da República, do começo do século passado, não tinha bancos blábláblá etc.

Um aviso aos transeuntes: os mais gordinhos também não cabem entre os arcos de ferro que fragmentam os bancos de madeira da nova República. Só valem para sentados e de espinhas eretas. Os gastos de R$ 3,1 milhões resultaram numa praça apenas dedicada a passantes. É um tapa na invenção da praça grega e pública. A polícia e a Guarda Municipal cuidam de reafirmar o conceito urbanístico aos desavisados: “Circulando, circulando, circulando”.

- Fui deitar ali no chão, ontem de tarde (na última sexta-feira), e tomei nas orelhas de um policia - conta Edevaldo Filgueiras, 40, mineiro de Araguari. Assim como Francimar, que deixamos lá na cumeeira desta pirâmide social invertida, apenas um desses tantos refugos dos novos tempos, mix de seguidos desempregos, desilusões, desordem na família, algumas doses de álcool a mais e a ressaca desencantadora das ruas. E não me cabe aqui a guerra moral das ligas das Senhoras Católicas ou Evangélicas. Filgueiras foi desandado e desandou. Ponto.

Jonas, nome para lá de fictício, foi mais além: entrou no crack e dorme no chão da nova praça, sob o olhar austero do sr. Luiz Lázaro Zamenhof, que vem a ser o criador do Esperanto, a língua utópica do mundo todo, e habita a praça na condição de estátua suja de merda de pombo. Jonas tem apenas 25 anos, fala como se fosse um personagem urbano de Guimarães Rosa, nonada, uns grunidos, bem feito para o cronista, quem manda chegar na vida alheia e que só a ele pertence –inclusive para decidir sobre o seu cachimbo!- cheio de perguntas. Há um sorriso alucinado por detrás daquela nuvem de fumaça azulada na noite dos nóias, como são denominados os Jonas nada bíblicos, corruptela de paranóia, de São Paulo.

Difícil alguém assumir que é mendigo no chão da praça. Tem muito catador de papel, camelô bissexto, gente que até tem família nos arredores da capital, os nóias, claro, ladrões de pouca importância, pois ali não dorme assaltante de bancos ou grandes valores e ninguém acusado de enriquecimento ilícito. Haja descuidistas e um magote de gente sem grana para ir e vir de trem e ônibus diariamente dos arredores de SP, como o casal Arimatéia Soares, 44, paulista de Mauá, na região metropolitana, e Lúcia Pontes (este repórter se recusa a perguntar idade de mulher, não insistam!), baiana de Vitória da Conquista.

Donos de uma banca quase virtual de confecções, Arimatéia e Lúcia ficam dois dias seguidos no centro e voltam para dormir uma noite no “barraco” em Carapicuíba, na região metropolitana. Quase virtual? Sim, quem flana, como este cronista, ou quem trabalha no centrão de SP sabe como funciona hoje a venda dos camelôs. Eles ficam nas ruas exibindo cartelas com fotos das mercadorias, para fugir do “rapa”, negociam com os fregueses e vão buscar os produtos entocados entocados em corredores de edifícios, debaixo de balcões de botecos na área e outros “mocós” secretos.

Sim, você ai, amigo de plantão do conservadorismo ou da higienização de fato, vai me dizer que os moradores de rua poderiam dormir nos abrigos da prefeitura. Tem razão, muitos dormem. Pena que casais como Arimatéia e Lúcia, que deixaram mais dois filhos no “barraco” com uma tia, não podem dormir por lá, é proibido o acasalamento. São cerca de 7 mil vagas para cerca de 12 mil, no mais acanhado dos cálculos de hoje, descobertos que dormem sob o sereno. Como reza o liberalismo clássico, nem todo “homeless” tem saco para enfrentar a burocracia e o “fichamento” dos abrigos, têm direito a circular livremente por onde entenderem. Além da mulher, nem o cachorro, fiel amigo dos viadutos, pode entrar nestas casas públicas de pernoite. Os mendigos alegam também que por lá os roubos são freqüentes. Até usar barba, reparem só, é proibido, têm que cortar os cabelos e ficar “limpinhos” como o sonho feliz de cidade de alguns fascistas.

 

Mais seguro e honesto mesmo é dormir sob a lua na sarjeta.

 

* Reportagem e/ou crônica anarco-punk publicada aquém muito aquém de qualquer debate eleitoral/eleitoreiro, na distante data de 26/02/2007. fonte: glorioso site Nominimo, o único a morrer no Brasil por excesso de audiência.



Escrito por xico sá às 03h01
[   ] [ envie esta mensagem ]




O SUPERBONDER DO ACASO -parte I

Ela agora arruma a favela-nation, como chamava a fileira de malas no canto do quarto, uma delas bem grande, arre, tipo rodoviária de Teófilo, Minas, jardins dos sertões que se bifurcam.

É o último dia do janeiro mais frio dos últimos 26 anos, informa o serviço meteorológico da cidade de São Paulo.

“Durante vinte e três noites consecutivas as nossas costelas grudaram, sem contar siestas para lá de espanholas, com o superbonder do acaso, o tenaz de um ensaio amoroso, o araldilte dos idílios inesperados, o visgo de pegar pássaros na infância”, pensa ele, no tempo em que o zômi ainda pensavam.

Vagamos lindamente pelos bares, calles, concertos, infernos, Buñuel na cama, biños, vanguarts, clashs, haxixes, consolações, chapas-quentes mistos idem, paraísos e augustas, coisas, babas,resumos, galegas birinaites samba club.

(...)

Amanhã partem as malas, a gaveta de calcinhas que eu mesmo arrumei com zelo & tara e alguma coisa a mais que ainda não tem nome nem cabe em nenhum carreto desse mundo.

Ela seguirá no dia seguinte, sábado, para um lugar que ainda não sabemos a essa altura.

Porque as mulheres que bolem de verdade com a gente são ciganas que não trabalham com pistas cartográficas.

No máximo, mapas de camelôs tão piratas quanto fitas da tropa de elite.

Terá uma conversa séria com um amor forte do pretérito nunca passado, conjugações esquisitas, leio aqui na palma da sua mão esquerda enquanto ela dorme no meu peito, baba aliterações de bebê, baby, baba, bob, jock, derraaaama sueños em intermináveis planos-sequência –sofisticada a nega!

(Um homem que guardou tudo para dizer somente agora, solamente agora, e talvez a espere com aqueles girassóis dos homens lentos que despertam enfurecidos apenas quando vêem o objeto do desejo encoberto pela maria-fumaça das estações do passado, ele merece, é sofrido, mas nunca justo.

03h00.

Ela toma banho.

Little drop of poison, de Tom Waits, toca na nossa rádio virtual predileta.

Ela guarda frascos e cremes.

Tento espremer a garrafa de Jim Bean que já estava na lata do lixo...

Agora fodeu de vez, mas o agora é agora, donde os fracos não têm vez: Leonard Cohen manda You Know Who I Am.

Os zipers das malas e bolsas dela não fecham direito, as coisas teimam –o secador de cabelo dispara inexplicavelmente revoltado- em ficar debaixo do teto das minhas falhas e goteiras. O que é uma mulher sem um secador de cabelo?  



Escrito por xico sá às 23h26
[   ] [ envie esta mensagem ]


[ ver mensagens anteriores ]




 

Histórico
  17/06/2012 a 23/06/2012
  24/07/2011 a 30/07/2011
  19/12/2010 a 25/12/2010
  28/11/2010 a 04/12/2010
  21/11/2010 a 27/11/2010
  24/10/2010 a 30/10/2010
  17/10/2010 a 23/10/2010
  03/10/2010 a 09/10/2010
  26/09/2010 a 02/10/2010
  29/08/2010 a 04/09/2010
  22/08/2010 a 28/08/2010
  15/08/2010 a 21/08/2010
  08/08/2010 a 14/08/2010
  01/08/2010 a 07/08/2010
  11/07/2010 a 17/07/2010
  04/07/2010 a 10/07/2010
  20/06/2010 a 26/06/2010
  06/06/2010 a 12/06/2010
  30/05/2010 a 05/06/2010
  23/05/2010 a 29/05/2010
  16/05/2010 a 22/05/2010
  09/05/2010 a 15/05/2010
  02/05/2010 a 08/05/2010
  25/04/2010 a 01/05/2010
  11/04/2010 a 17/04/2010
  04/04/2010 a 10/04/2010
  28/03/2010 a 03/04/2010
  21/03/2010 a 27/03/2010
  07/03/2010 a 13/03/2010
  28/02/2010 a 06/03/2010
  21/02/2010 a 27/02/2010
  14/02/2010 a 20/02/2010
  07/02/2010 a 13/02/2010
  31/01/2010 a 06/02/2010
  24/01/2010 a 30/01/2010
  17/01/2010 a 23/01/2010
  13/12/2009 a 19/12/2009
  06/12/2009 a 12/12/2009
  29/11/2009 a 05/12/2009
  22/11/2009 a 28/11/2009
  15/11/2009 a 21/11/2009
  08/11/2009 a 14/11/2009
  01/11/2009 a 07/11/2009
  25/10/2009 a 31/10/2009
  18/10/2009 a 24/10/2009
  11/10/2009 a 17/10/2009
  04/10/2009 a 10/10/2009
  27/09/2009 a 03/10/2009
  20/09/2009 a 26/09/2009
  13/09/2009 a 19/09/2009
  06/09/2009 a 12/09/2009
  30/08/2009 a 05/09/2009
  23/08/2009 a 29/08/2009
  16/08/2009 a 22/08/2009
  09/08/2009 a 15/08/2009
  02/08/2009 a 08/08/2009
  26/07/2009 a 01/08/2009
  19/07/2009 a 25/07/2009
  12/07/2009 a 18/07/2009
  05/07/2009 a 11/07/2009
  28/06/2009 a 04/07/2009
  21/06/2009 a 27/06/2009
  14/06/2009 a 20/06/2009
  07/06/2009 a 13/06/2009
  31/05/2009 a 06/06/2009
  24/05/2009 a 30/05/2009
  17/05/2009 a 23/05/2009
  10/05/2009 a 16/05/2009
  03/05/2009 a 09/05/2009
  26/04/2009 a 02/05/2009
  19/04/2009 a 25/04/2009
  12/04/2009 a 18/04/2009
  05/04/2009 a 11/04/2009
  29/03/2009 a 04/04/2009
  22/03/2009 a 28/03/2009
  15/03/2009 a 21/03/2009
  08/03/2009 a 14/03/2009
  01/03/2009 a 07/03/2009
  22/02/2009 a 28/02/2009
  15/02/2009 a 21/02/2009
  08/02/2009 a 14/02/2009
  01/02/2009 a 07/02/2009
  25/01/2009 a 31/01/2009
  18/01/2009 a 24/01/2009
  11/01/2009 a 17/01/2009
  14/12/2008 a 20/12/2008
  07/12/2008 a 13/12/2008
  30/11/2008 a 06/12/2008
  23/11/2008 a 29/11/2008
  16/11/2008 a 22/11/2008
  09/11/2008 a 15/11/2008
  02/11/2008 a 08/11/2008
  26/10/2008 a 01/11/2008
  19/10/2008 a 25/10/2008
  12/10/2008 a 18/10/2008
  05/10/2008 a 11/10/2008
  28/09/2008 a 04/10/2008
  21/09/2008 a 27/09/2008
  14/09/2008 a 20/09/2008
  07/09/2008 a 13/09/2008
  31/08/2008 a 06/09/2008
  24/08/2008 a 30/08/2008
  17/08/2008 a 23/08/2008
  10/08/2008 a 16/08/2008
  03/08/2008 a 09/08/2008
  27/07/2008 a 02/08/2008
  20/07/2008 a 26/07/2008
  13/07/2008 a 19/07/2008
  06/07/2008 a 12/07/2008
  29/06/2008 a 05/07/2008
  22/06/2008 a 28/06/2008
  15/06/2008 a 21/06/2008
  08/06/2008 a 14/06/2008
  01/06/2008 a 07/06/2008
  25/05/2008 a 31/05/2008
  18/05/2008 a 24/05/2008
  11/05/2008 a 17/05/2008
  04/05/2008 a 10/05/2008
  27/04/2008 a 03/05/2008
  20/04/2008 a 26/04/2008
  13/04/2008 a 19/04/2008
  06/04/2008 a 12/04/2008
  30/03/2008 a 05/04/2008
  23/03/2008 a 29/03/2008
  16/03/2008 a 22/03/2008
  09/03/2008 a 15/03/2008
  02/03/2008 a 08/03/2008
  24/02/2008 a 01/03/2008
  17/02/2008 a 23/02/2008
  10/02/2008 a 16/02/2008
  03/02/2008 a 09/02/2008
  27/01/2008 a 02/02/2008
  20/01/2008 a 26/01/2008
  13/01/2008 a 19/01/2008
  06/01/2008 a 12/01/2008
  16/12/2007 a 22/12/2007
  09/12/2007 a 15/12/2007
  02/12/2007 a 08/12/2007
  25/11/2007 a 01/12/2007
  18/11/2007 a 24/11/2007
  11/11/2007 a 17/11/2007
  04/11/2007 a 10/11/2007
  28/10/2007 a 03/11/2007
  21/10/2007 a 27/10/2007
  14/10/2007 a 20/10/2007
  07/10/2007 a 13/10/2007
  30/09/2007 a 06/10/2007
  23/09/2007 a 29/09/2007
  16/09/2007 a 22/09/2007
  09/09/2007 a 15/09/2007
  02/09/2007 a 08/09/2007
  26/08/2007 a 01/09/2007
  19/08/2007 a 25/08/2007
  12/08/2007 a 18/08/2007
  05/08/2007 a 11/08/2007
  29/07/2007 a 04/08/2007
  22/07/2007 a 28/07/2007
  15/07/2007 a 21/07/2007
  08/07/2007 a 14/07/2007
  01/07/2007 a 07/07/2007
  24/06/2007 a 30/06/2007
  17/06/2007 a 23/06/2007
  10/06/2007 a 16/06/2007
  03/06/2007 a 09/06/2007
  27/05/2007 a 02/06/2007
  20/05/2007 a 26/05/2007
  13/05/2007 a 19/05/2007
  06/05/2007 a 12/05/2007
  29/04/2007 a 05/05/2007
  22/04/2007 a 28/04/2007
  15/04/2007 a 21/04/2007
  08/04/2007 a 14/04/2007
  01/04/2007 a 07/04/2007
  25/03/2007 a 31/03/2007
  18/03/2007 a 24/03/2007
  11/03/2007 a 17/03/2007
  04/03/2007 a 10/03/2007
  25/02/2007 a 03/03/2007
  18/02/2007 a 24/02/2007
  11/02/2007 a 17/02/2007
  04/02/2007 a 10/02/2007
  28/01/2007 a 03/02/2007
  21/01/2007 a 27/01/2007
  14/01/2007 a 20/01/2007
  07/01/2007 a 13/01/2007
  31/12/2006 a 06/01/2007
  17/12/2006 a 23/12/2006
  10/12/2006 a 16/12/2006
  03/12/2006 a 09/12/2006
  26/11/2006 a 02/12/2006
  19/11/2006 a 25/11/2006
  12/11/2006 a 18/11/2006
  05/11/2006 a 11/11/2006
  29/10/2006 a 04/11/2006
  22/10/2006 a 28/10/2006
  15/10/2006 a 21/10/2006
  08/10/2006 a 14/10/2006
  01/10/2006 a 07/10/2006
  24/09/2006 a 30/09/2006
  17/09/2006 a 23/09/2006
  10/09/2006 a 16/09/2006
  03/09/2006 a 09/09/2006
  27/08/2006 a 02/09/2006
  20/08/2006 a 26/08/2006
  13/08/2006 a 19/08/2006
  06/08/2006 a 12/08/2006
  30/07/2006 a 05/08/2006
  23/07/2006 a 29/07/2006
  16/07/2006 a 22/07/2006
  09/07/2006 a 15/07/2006
  02/07/2006 a 08/07/2006
  25/06/2006 a 01/07/2006
  18/06/2006 a 24/06/2006
  11/06/2006 a 17/06/2006
  04/06/2006 a 10/06/2006
  28/05/2006 a 03/06/2006
  21/05/2006 a 27/05/2006
  14/05/2006 a 20/05/2006
  07/05/2006 a 13/05/2006
  30/04/2006 a 06/05/2006
  23/04/2006 a 29/04/2006
  16/04/2006 a 22/04/2006
  09/04/2006 a 15/04/2006
  02/04/2006 a 08/04/2006
  26/03/2006 a 01/04/2006
  19/03/2006 a 25/03/2006
  12/03/2006 a 18/03/2006
  05/03/2006 a 11/03/2006
  26/02/2006 a 04/03/2006
  19/02/2006 a 25/02/2006
  12/02/2006 a 18/02/2006
  05/02/2006 a 11/02/2006
  29/01/2006 a 04/02/2006
  22/01/2006 a 28/01/2006
  15/01/2006 a 21/01/2006
  08/01/2006 a 14/01/2006
  01/01/2006 a 07/01/2006
  25/12/2005 a 31/12/2005
  18/12/2005 a 24/12/2005
  11/12/2005 a 17/12/2005
  04/12/2005 a 10/12/2005
  27/11/2005 a 03/12/2005
  20/11/2005 a 26/11/2005
  13/11/2005 a 19/11/2005
  06/11/2005 a 12/11/2005
  30/10/2005 a 05/11/2005
  23/10/2005 a 29/10/2005
  16/10/2005 a 22/10/2005
  09/10/2005 a 15/10/2005
  02/10/2005 a 08/10/2005
  25/09/2005 a 01/10/2005
  18/09/2005 a 24/09/2005
  11/09/2005 a 17/09/2005
  04/09/2005 a 10/09/2005
  28/08/2005 a 03/09/2005
  21/08/2005 a 27/08/2005
  14/08/2005 a 20/08/2005
  07/08/2005 a 13/08/2005
  31/07/2005 a 06/08/2005
  24/07/2005 a 30/07/2005
  17/07/2005 a 23/07/2005
  10/07/2005 a 16/07/2005
  03/07/2005 a 09/07/2005
  26/06/2005 a 02/07/2005
  19/06/2005 a 25/06/2005
  12/06/2005 a 18/06/2005
  05/06/2005 a 11/06/2005
  29/05/2005 a 04/06/2005
  22/05/2005 a 28/05/2005
  15/05/2005 a 21/05/2005
  08/05/2005 a 14/05/2005
  01/05/2005 a 07/05/2005
  24/04/2005 a 30/04/2005


Outros sites
  Editora do Bispo
  Blog da editora do bispo
  aurora boulevard, uma janela para o melhor da existência
  notasubmersas - mergulho en la isla encantada
  Sorte & Azar S/A
  La liga de la vesga y outros debujos incriibles
  balcan beat box & nikolai gogol bordelo
  Portunhol selvagem és mi pátria y mi lengua
  Doktor Estranho - pense!
  eraOdito, o homi, o mito, o kabrito, vale o escrito
  El Impostor y sus presídios de buelsillo
  jazz do interior by bombig
  sabe aquele cara do cheiro do ralo?
  scottlândia & otros darwinismos gauches
  Bortolotto, uiscão y raiban
Votação
  Dê uma nota para meu blog



O que é isto?